img
o que ver em minhas gerais 1

O que ver em Minas Gerais?

Maio 19, 2020

O que ver em Minas Gerais? Quando a maioria das pessoas pensa no Brasil, é mais ou menos assim: Dedos nas areias da praia de Copacabana no Rio, bebendo caipirinhas — o coquetel nacional feito com uma aguardente de rum destilada da cana de açúcar chamada cachaça — tudo pronto para uma trilha sonora de samba ensolarada.

Isso é bom e tudo, mas a beleza do Brasil vai muito além do sol, da areia e do samba.

No interior de Minas Gerais, o coração do Brasil acena. Esta terra maravilhada de serras pastoris ondulantes e montanhas perfeitas para cartões postais está impregnada de história colonial e ostenta um pedigree culinário que se conta entre os mais ricos e calorosos do gigante sul-americano.

Este é o país do Deus brasileiro.

O que Ver em Minas Gerais

o que ver em minas gerais

Profunda credibilidade culinária

Quando os brasileiros falam de comida, normalmente dizem que os gaúchos do Sul são os melhores na carne e os paulistanos são os melhores na pizza e em tudo que é gourmet. Mas os Mineiros – como são conhecidos os mineiros – são os melhores em praticamente tudo o que fazem em uma cozinha.
É impossível ter uma refeição ruim aqui, mas se você é um sério apreciador de comida e quer ir direto para o coração desta pesada e dependente do porco, vá direto para a cinematográfica vila colonial de Tiradentes, um lugar de culto aos gourmands in the know.

Leia Mais: Uber ou Aluguel de Carro para Viajar?

Apenas 7 mil pessoas compartilham restaurantes de seis estrelas – os mais altos per capita do Brasil – de acordo com o Guia4Rodas, a bíblia culinária mais respeitada do Brasil e uma alma gêmea dos guias franceses Michelin.

Seu cardápio? Leitão do Luiz Ney (Rua do Chafariz s/n), frango com açafrão servido em uma panela de pedra sabão na Virada do Largo (Rua do Moinho 11), Manuel sem Jaleco na Estralegam do Sabor (Gabriel Passos 280), uma espécie de mexilhão de conforto alimentar com arroz, feijão, ovos, couve, toucinho fumado, banana e um suculento lombo de porco semi-defumado que passa dias de maturação em um armário rudimentar de quintal.

E sobremesa? Fruta de goiaba seca enrolada em castanha de caju e frita, servida sobre uma cama de queijo cremoso brasileiro com sorvete de goiaba no Tragaluz (Rua Direita 52). Aquela cachaça naquelas caipirinhas de que falamos anteriormente? Todas as boas também vêm de Minas. Perseguir tudo isso com uma cachaça artesanal de primeira linha como Anísio Santiago/Havana.

A capital brasileira do bar

Belo Horizonte, a capital do estado, é a terceira maior metrópole do Brasil (população: 1,4 milhões), mas é a capital incontestável dos botecos – bares de bairro aconchegantes, uma espécie de pub tropical, se você preferir.

Conhecida nacionalmente como a “Cidade dos Botecos” (existem cerca de 12 mil botecos, mais bares per capita do que qualquer outra cidade do mundo), Beagá (como é carinhosamente apelidada pela pronúncia das letras abreviadas “BH” em português) é uma cidade muito boa para uma gorjeta.

Os resultados do campeonato anual Comida di Buteco são um bom lugar para estreitar sua lista de visitas.

História Colonial

Minas Gerais é o lar de algumas das cidades coloniais mais ferozmente preservadas do Brasil. Construídas com ouro e café, museus vivos como o Patrimônio Mundial da UNESCO – cidades antigas de Ouro Preto e Diamantina e o paraíso do sono alimentar de Tiradentes – abrigam muitas das ruas mais fotogênicas do país, com vilas caiadas de branco e decoradas com cores e com um forte compromisso com seus costumes centenários.

Há uma sensação palpável de estar preso no tempo enquanto você perambula por essas vilas deslumbrantes, a um mundo distante do Oceano Atlântico.

O Michelangelo do Brasil

Para os apreciadores de arte e arquitetura, Minas Gerais é a terra prometida, principalmente devido à presença de obras do escultor mais elogiado do Brasil, Aleijadinho, muitas vezes tocado como o Michelangelo do Brasil.

Anthony Bourdain se encontra com um grupo de jovens chefs brasileiros com o objetivo de expor o resto do mundo à sua culinária nativa. Nada prepara muito bem para a primeira vez que você põe os olhos em sua obra-prima e na mais importante obra de arte colonial brasileira, “Doze Profetas”, no santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas.

Velho, doente e aleijado, Aleijadinho passou cinco anos entre 1800 e 1805 trabalhando em 12 figuras do Antigo Testamento esculpidas em pedra sabão que pimentavam o pátio e a escadaria da igreja. É um dos momentos de fogo certeiro do Brasil.

Igrejas banhadas em glamour e ouro

Na antiga cidade de Ouro Preto, Patrimônio Mundial da UNESCO, a Igreja de São Francisco de Assis (Largo de Coimbra s/n) ostenta um exterior impressionante esculpido por Aleijadinho e é considerada sua segunda obra mais importante depois de Congonhas.
Nas proximidades, a Basílica Nossa Senhora do Pilar (Praça Monsenhor Castilho Barbosa) é a segunda maior igreja e convento de São Francisco em toda a opulência: Moradia com pouco menos de meia tonelada de ouro e prata em sua nave, é um dos mais deslumbrantes – e valiosos – tesouros da arte colonial do Brasil.

Um padre e seus lobos-guarás

Um pouco fora do caminho batido mesmo para os brasileiros, o Parque Natural do Caraça protege cerca de 38 quilômetros quadrados de zona de transição entre os ecossistemas da Mata Atlântica e do cerrado.

O Parque Natural do Caraça é um parque de natureza feliz, mas o mais notável por uma das verdadeiras adversidades do Brasil: A alimentação noturna do lobo-guará, o maior canino selvagem da América do Sul, na Pousada Santuário do Caraça.

No verdadeiro estilo São Francisco, o padre da pousada católica trabalhou incansavelmente dois anos fazendo amizade com os lobos e alimentando-os durante a noite. Hoje, após o jantar no antigo refeitório de pedras do mosteiro, os hóspedes se reúnem na varanda dos fundos e esperam, falando em tons abafados e bebericando cachaça, esperando a chegada dos lobos.

Quando o fazem, é uma visão milagrosa, pois lentamente vão subindo os degraus – com um ar de magro, selvagem e em constante guarda – para devorar as sobras da noite. Somente em Minas.

Agora que você saber o que ver em Minas Gerais, confira nosso trabalho acessando as Pousadas na Serra do Cipó

© 2020, felipecardoso. All rights reserved.

Article Categories:
Variedades
https://guerrilhamkt.com.br

Profissional de SEO e produtor de conteúdo nas horas vagas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *