Vale Tudo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 
Vale Tudo
Informação geral
Formato Telenovela
Classificação etária Inadequado para menores de 12 anos DJCTQ (Brasil)[1]
Duração 50 min
Criador Gilberto Braga
Aguinaldo Silva
Leonor Bassères
País de origem Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Dênis Carvalho
Ricardo Waddington
Elenco original Regina Duarte
Glória Pires
Antônio Fagundes
Carlos Alberto Riccelli
Beatriz Segall
Renata Sorrah
Lídia Brondi
ver mais
Tema de abertura "Brasil" (Gal Costa)[2]
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil Rede Globo
Formato de exibição 480i (SD)
Transmissão original 16 de maio de 1988
6 de janeiro de 1989[3]
N.º de episódios 204 capítulos[3]
Portal Televisão · Projeto Televisão

Vale Tudo foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo, exibida de 16 de maio de 1988 a 6 de janeiro de 1989, no horário das 20h da emissora. Foi escrita por Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères e dirigida por Dênis Carvalho e Ricardo Waddington, com direção geral do primeiro. Contou com 204 capítulos.[3][4]

Teve Regina Duarte, Antônio Fagundes, Beatriz Segall, Glória Pires e Carlos Alberto Riccelli nos papeis principais da trama.[4]

História

Sinopse

Raquel Accioli[5][6] está separada de seu marido, Rubinho, há cerca de dez anos, época em que, depois de uma violenta discussão, ela decidiu abandoná-lo e ir viver com a filha, a ambiciosa Maria de Fátima, na casa do pai, Salvador, em Foz do Iguaçu, no Paraná. Seu único bem é uma casa modesta que Salvador passou para o nome da neta, de modo que, quando este morresse, nada lhe faltasse. Raquel vive como guia de turismo e, quando Salvador morre, Fátima, sem dizer nada à mãe, vende a casa[5] e parte para o Rio de Janeiro em busca de ganhar a vida, não importando como. No Rio ela se envolve com César Ribeiro, um ex-modelo que teve o mundo das passarelas literalmente a seus pés, e que atua como garoto de programa. Maria de Fátima é apresentada por César a Solange Duprat, produtora de moda da revista Tomorrow, passando a atuar como modelo e a morar na casa de Solange. Raquel, sem casa, parte para o Rio de Janeiro, para evitar as maldades da filha. Maria de Fátima usa Solange para se aproximar de Afonso Roitman, namorado da jornalista, e se casar com ele.[3]

A trama passa então a mostrar a dualidade: Maria de Fátima buscando ficar rica com o casamento arranjado, enquanto Raquel, vendendo sanduíches na praia, acaba subindo na vida e, de maneira honesta, vira dona de uma rede de restaurantes industriais.[5][7]

Raquel inicia um namoro com Ivan Meireles, porém ele acaba se casando com Helena Roitman, o que opõe Raquel a Odete Roitman, já que esta quer afastar, de qualquer forma, Raquel de Ivan.

Como o casal acaba se reaproximando, Odete dá sua última cartada: manda Ivan subornar um agente da alfândega brasileira para liberar equipamentos retidos, só que a empresária filma a cena e passa a chantagear Raquel e Ivan, o qual acaba sendo preso por corrupção.

Paralelamente, outros temas foram abordados:

Mistério

No capítulo 193, que foi ao ar no dia 24 de dezembro de 1988, sábado de Natal, a vilã Odete Roitman(Beatriz Segall) foi assassinada com 3 tiros. Apesar do mistério do assassino ter durado apenas 13 dias, o assunto dominou as conversas pelo país, lançando a pergunta "Quem matou Odete Roitman?".[9][10][11][12][13]

Último capítulo

No último capítulo, revela-se que Odete Roitman (Beatriz Segall) havia sido morta, por engano, por Leila, que pensa estar atirando em Maria de Fátima, a qual havia se tornado amante de seu marido, Marco Aurélio (Reginaldo Faria), ex-genro de Odete.[12] A cena do disparo foi gravada no dia em que o último capítulo foi ao ar. A identidade do assassino foi revelada na sexta-feira, dia 6 de janeiro de 1989, nem os próprios atores tiveram acesso ao verdadeiro final, que foi gravado em cinco versões diferentes. Por fim, descobriu-se que Leila (Cássia Kiss), acabou matando Odete de Almeida Roitman por engano, pensando que estava atirando em Maria de Fátima (Glória Pires).[14][15] Marco Aurélio foge do país com a mulher Leila e dá uma "banana" (gesto ofensivo) para o Brasil.[16]

Produção

A novela 'Vale Tudo' teve como título provisório o nome 'Pátria Amada'.[17] No dia de sua estréia, as personagens da então novela das 19h, Sassaricando comentavam sobre o primeiro capítulo da novela. Na ocasião, Lucrécia, personagem de Maria Alice Vergueiro, dizia para a sobrinha Camila, personagem de Maitê Proença, que não queria perder o primeiro capítulo da novela do Gilberto Braga, seu autor preferido.[18]

Os atores Adriana Esteves e Humberto Martins, participaram da novela como figurantes. Humberto como recepcionista de um hotel. Adriana teve uma rápida aparição como uma modelo. Foi a primeira novela dos atores Marcello Novaes[19] e Flávia Monteiro.[20]

Exibição

Seu primeiro capítulo foi transmitido no dia 16 de maio de 1988 e, o último, no dia 6 de janeiro de 1989, com reapresentação no dia 7 de janeiro, totalizando 203 capítulos.[3]

No ano de 1992, a novela Vale Tudo foi reapresentada na sessão Vale a Pena Ver de Novo, entre 11 de maio e 6 de novembro, as 13h30, em 130 capítulos.[carece de fontes?]

O tema de abertura era a canção "Brasil" de Cazuza, Nilo Romero e George Israel, interpretada por Gal Costa.[2][21]

Audiência

A novela apresentou média geral de 56 pontos no Ibope.[22][23]

Repercussão

Na época, o bordão O sangue de Jesus tem poder falado por Raquel (Regina Duarte) virou marca da sua personagem.[24]

O maior destaque da trama foi Odete Roitman, interpretada pela atriz Beatriz Segall, considerada a maior vilã da história da teledramaturgia por mais vinte anos.[25]

Outro destaque foi Glória Pires interpretando Maria De Fátima, sendo considerada uma das piores vilãs de todos os tempos, também eleita "a filha mais ingrata da TV",[26] que chegou a vender seu próprio filho e deixar sua mãe no olho da rua.[14]

Renata Sorrah interpretou uma das personagens mais populares de sua carreira: a alcoólatra Heleninha Roitman. O nome da personagem virou referência para quem bebia demais.[14]

Vale Tudo é marcada por várias cenas antológicas, como a cena do primeiro capítulo, em que Raquel, personagem de Regina Duarte descobre que a filha, Maria de Fátima, personagem de Glória Pires vendeu a casa e sumiu com o dinheiro; a cena do capítulo 14, no ar em 31 de maio de 1988 em que Fátima encontra Raquel, vendendo sanduíche na praia; a cena em que Raquel rasga o vestido de noiva de Fátima, quando ela se casa com Afonso, personagem de Cássio Gabus Mendes; a cena em que Fátima rola as escadarias do Teatro Municipal; o acerto de contas entre Fátima e a jornalista Solange, personagem de Lídia Brondi, quando esta descobre a traição do marido Afonso. Bem como o acerto de contas entre Fátima e Afonso, quando este descobre a traição de Fátima com o bon vivant César, personagem de Carlos Alberto Riccelli, além das cenas de barraco homéricas protagonizadas por Heleninha Roitman, personagem de Renata Sorrah.[14] E as cenas finais do último capítulo, quando Leila, personagem de Cássia Kiss, revela ser a assassina de Odete Roitman, personagem de Beatriz Segall. E Marco Aurélio, personagem de Reginaldo Faria, deixando o país, dando uma banana para o Brasil.[27]

Em 2002, a Rede Globo regravou Vale Tudo em espanhol (com o nome Vale Todo) para ser exibida para o mercado hispânico dos Estados Unidos.[28][29] A nova versão foi exibida no canal Telemundo, que foi parceira na produção.[30] A versão hispânica da novela teve direção de Reinaldo Boury e adaptação de Yves Dumont. Diferentemente do que ocorreu no Brasil, o remake não obteve empatia com o público.[31][32]

Prêmios

Troféu APCA (1988)[33][nota 1] Troféu Imprensa (1988)[34]

Elenco

Regina Duarte interpretou Raquel.[27]

Glória Pires interpretou Maria de Fátima.[27]

Renata Sorrah interpretou Heleninha Roitman.[4]

Sérgio Mamberti interpretou Eugênio.[4]

Marcos Palmeira interpretou Mário Sérgio.[4]

em ordem da abertura
Ator Personagem
Regina Duarte Raquel Accioli[35][36]
Antônio Fagundes Ivan Meireles[37]
Glória Pires Maria de Fátima Accioli[38]
Carlos Alberto Riccelli César Ribeiro
Lídia Brondi Solange Duprat
Cássio Gabus Mendes Afonso de Almeida Roitman
Pedro Paulo Rangel Poliana (Aldálio Candeias)
Cássia Kiss Leila Cantanhede
Cláudio Corrêa e Castro Bartolomeu Meireles
Adriano Reys Renato Filipelli
Lília Cabral Aldeíde Candeias
Sérgio Mamberti Eugênio
Carlos Gregório Gerson
Cristina Prochaska Laís[39]
Stepan Nercessian Jarbas
Rosane Gofman Consuelo
Íris Bruzzi Eunice Meireles
Marcos Palmeira Mário Sérgio
Zeni Pereira Maria José
Maria Gladys Lucimar
Paula Lavigne Daniela
Fábio Villa Verde Thiago Augusto de Almeida Roitman Cantanhede
Flávia Monteiro Fernanda[20]
Nara de Abreu Deise
Danton Mello Bruno Meireles
Otávio Müller Sardinha
Lala Deheinzelin Cecília Cantanhede[39]
Marcello Novaes André[19]
Jairo Lourenço Luciano
Participação especial[4]
Ator Personagem
Daniel Filho Rubinho (Rubens Accioli)
Atrizes convidadas[4]
Ator Personagem
Beatriz Segall Odete de Almeida Roitman[40]
Nathália Timberg Celina de Almeida Junqueira[41]
Renata Sorrah como Helenina (Helena de Almeida Roitman)[42]↓
Reginaldo Faria como Marco Aurélio Cantanhede[43]
Participações especiais
Ator Personagem
Dennis Carvalho William[19]
Cristina Galvão Íris
Lourdes Mayer Pequenina
Renata Castro Barbosa Flávia
Carlos Gregório Gerson
Paula Lavigne Daniela
Jairo Lourenço Luciano
Nara de Abreu Deise
Paulo Reis Olavo
Paulo Porto Queirós
João Bourbonnais Walter
Ana Lúcia Monteiro Marina
Edson Fieschi Carlos
Fábio Junqueira Fred
Fernando Almeida Hermenegildo (Gildo)
Ivan de Albuquerque Laudelino
João Camargo Freitas
Joyce de Oliveira Rosália
Ludoval Campos Fernando
Martha Linhares Suzana
Marcos Waimberg Bernardo
Paulo César Grande Franklin
Paulo Rezende Vasco
Paulo Villaça Gustavo
Rita Malot Marieta
Roberto Frota Santana
Turíbio Ruiz Gomes
Sebastião Vasconcelos Salvador
Zilka Salaberry Ruth
Maria Isabel de Lizandra Marisa
Bia Seidl Marília[39]
Marcos Manzano príncipe Giovanni
Rogério Fróes delegado
Marco Miranda gerente do apart-hotel
Lu Grimaldi mulher que negocia a venda do filho de Fátima
Monique Lafond  
Cláudia Jimenez Fátima

Trilha sonora

A trilha sonora de Vale Tudo foi cuidadosamente elaborada e trouxe grandes nomes da música brasileira e internacional. As trilhas foram lançadas originalmente em 1988, sendo que somente a trilha nacional foi remasterizada e relançada em CD pela Som Livre em 2001. A produção do álbum nacional ficou por conta de Max Pierre e Aramis Barros, incluindo canções inéditas ou versões gravadas especialmente para a trilha sonora, enquanto a trilha internacional foi selecionada por Sergio Motta.[3][4][21]

Trilha sonora nacional

  1. "Brasil" - Gal Costa[3]
  2. "Tá Combinado" - Maria Bethânia
  3. "Terra Dourada" - João Bosco
  4. "Pense e Dance" - Barão Vermelho
  5. "Pontos Cardeais" - Ivan Lins
  6. "A Sombra da Partida" - Ritchie
  7. "Todo Sentimento" - Verônica Sabino
  8. "É" - Gonzaguinha[3]
  9. "Penso Nisso Amanhã" - Nico Rezende
  10. "Isto Aqui O Que É" - Caetano Veloso[3]
  11. "Faz Parte do Meu Show" - Cazuza
  12. "Bésame" - Jane Duboc
  13. "Um Mundo Só Pra Nós (Eye In The Sky)" - Gás
  14. "Sem Destino" - Léo Gandelman

Trilha sonora internacional

  1. "Father Figure" - George Michael
  2. "Where Do Broken Hearts Go?" - Whitney Houston
  3. "Lost In You" - Rod Stewart
  4. "Crying Overtime" - Alexander O'Neal
  5. "I Get Weak" - Belinda Carlisle
  6. "Il Faut Savoir" - Charles Aznavour
  7. "Baby Can I Hold You" - Tracy Chapman[3]
  8. "Silent Morning" - Noel
  9. "Piano In The Dark" - Brenda Russell featuring Joe Exposito
  10. "Free As a Bird" - Supertramp
  11. "Paradise" - Sade
  12. "Lion In My Heart" - Thunder Newcome
  13. "Pink Cadillac" - Natalie Cole
  14. "Me In Tutto Il Mondo" - Ornella Vanoni