Senhora do Destino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 
 
Senhora do Destino
Informação geral
Formato Telenovela
Classificação etária Inadequado para menores de 10 anos DJCTQ (Brasil)[1]
Inadequado para menores de 12 anos DJCTQ (Brasil)[2][nota 1]
Inadequado para menores de 14 anos DJCTQ (Brasil)[nota 2]
Duração 50 min. (aproximadamente)
Criador Aguinaldo Silva
País de origem Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Wolf Maya
Luciano Sabino
Marco Rodrigo
Cláudio Boeckel
Elenco original Susana Vieira
Renata Sorrah
José Wilker
José Mayer
Carolina Dieckmann
Eduardo Moscovis
Marcello Antony
Débora Falabella
Leonardo Vieira
Dado Dolabella
Letícia Spiller
Tânia Khallil
Glória Menezes
ver mais
Tema de abertura "Encontros e Despedidas"
Maria Rita[3]
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil Rede Globo
Emissora(s) de
televisão lusófona(s)
Mostrar lista
Transmissão original 28 de junho de 2004
12 de março de 2005
N.º de episódios 220 capítulos[4]
Portal Televisão · Projeto Televisão

Senhora do Destino foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 28 de junho de 2004 a 12 de março de 2005, totalizando 220 capítulos.[4]

Escrita por Aguinaldo Silva[5] com a colaboração de Glória Barreto, Maria Elisa Berredo e Nelson Nadotti. Dirigida por Luciano Sabino, Marco Rodrigo, Cláudio Boeckel e Ary Coslov, com direção geral e de núcleo de Wolf Maya.[4]

Contou com os atores Susana Vieira,[6] José Wilker, José Mayer, Leonardo Vieira, Marcello Antony, Dado Dolabella, Carolina Dieckmann, Leandra Leal, Débora Falabela, Carol Castro e Dan Stulbach, Renata Sorrah, Eduardo Moscovis, Letícia Spiller e José de Abreu nos papéis principais.[7]

História

Sinopse

Primeira fase

A trama de Senhora do Destino é dividida em duas fases. A primeira – exibida em quatro capítulos – se passa em dezembro de 1968, contando a história de três mulheres: Josefa de Medeiros Duarte Pinto, jornalista do Diário de Notícias, uma mulher deslumbrante e valente que acaba se tornando uma inimiga mortal contra a ditadura; Maria do Carmo Ferreira da Silva, uma nordestina humilde que vem para a cidade do Rio de Janeiro em busca de uma vida melhor para si e aos filhos; e Maria de Nazaré Esteves Tedesco, uma prostituta que quer mudar de vida a qualquer custo e jogará sujo para isso.

Maria do Carmo, uma nordestina sofredora, abandonada pelo marido Josivaldo, parte com seus cinco filhos de Belém de São Francisco, no sertão de Pernambuco, rumo ao Rio de Janeiro. Ela se encontra desesperada, por não ver ali um futuro melhor a dar aos filhos, pois vive em extrema pobreza. Portanto, ela escreve ao irmão, Sebastião, pedindo que ele os receba em sua casa.

Sebastião trabalha como motorista para Josefa de Medeiros Duarte Pinto, por quem é secretamente apaixonado. Ela é filha de uma família tradicional e dona do jornal carioca Diário de Notícias, herdado após a morte do segundo marido.

Após uma série de contratempos na viagem, como temporais,deslizamentos nas estradas de terra esburacadas e lamacentas e um ônibus em péssimas condições de estado (dirigido pelo personagem Ruddy, numa participação especial de Rodrigo Hilbert na novela), Maria do Carmo e os filhos chegam à cidade do Rio de Janeiro em 13 de dezembro de 1968, justamente o dia da decretação do Ato Institucional Número Cinco, o AI-5. Há um grande tumulto nas ruas do Centro da cidade, tomadas por manifestantes e policiais em guerra. O Diário de Notícias, opositor do regime militar, é invadido pela polícia, e Sebastião não consegue buscar Maria do Carmo na rodoviária. Como perdeu o papel na estrada onde havia anotado o endereço do irmão, ela segue com os filhos à procura do jornal, onde espera encontrar Sebastião. No meio da confusão em que se transformou a cidade, Reginaldo, seu filho mais velho, é ferido por uma pedrada. Maria do Carmo consegue se refugiar com as crianças em uma casa abandonada. Nazaré (como é chamada), após uma discussão com o amante José Carlos, também se abriga no local. Vestida como uma enfermeira e com uma falsa barriga de grávida, Nazaré diz se chamar Lourdes e promete tomar conta das crianças enquanto Maria do Carmo leva Reginaldo ao hospital. Na volta, porém, Maria do Carmo descobre que a mulher desapareceu com sua filha recém-nascida, de apenas dois meses de vida, chamada Lindalva.

Nazaré, na realidade, é uma prostituta do bordel de Madame Berthe que deseja se casar com o amante e mudar de vida. Ela acredita que a gravidez é a única maneira de separá-lo da esposa e da filha. Como ficou estéril após 5 abortos sucessivos, inventou que estava grávida para forçar José Carlos a assumir a criança. Ao ficar sozinha com Lindalva em seus braços, Nazaré vislumbra a chance de concretizar seu plano e sequestra a menina. Após chantagear Madame Berthe para que confirme sua história, ela arma uma farsa e finge que deu à luz a criança, sensibilizando o amante, que larga a família para ficar com ela. A luta de Maria do Carmo para reencontrar a filha roubada é o fio condutor da trama.

Desolada com o sequestro de Lindalva, Maria do Carmo se perde nas ruas do Rio, é confundida com os manifestantes e levada presa, juntamente com outros dois homens em particular: um deles é Dirceu de Castro, repórter do Diário de Notícias, que se recusa a abandonar a redação do jornal; o outro é Giovanni Improtta, conhecido empresário do jogo do bicho repleto de falcatruas e atividades escusas em sua vida. Josefa também é presa, tem o jornal fechado e é aconselhada a deixar o país, o que a leva para um luxuoso exílio em Paris.

Maria do Carmo, Dirceu e Giovanni ficam em celas vizinhas no presídio da Ilha das Flores presídio localizado na Baía de Guanabara, e o jornalista toma conhecimento da história da nordestina. Dirceu chama a atenção do comandante da prisão, o perverso Comandante Saraiva (Werner Schünemann), para o equívoco, e a jovem é solta. Ela encontra Sebastião por acaso, e os dois conseguem impedir que os filhos de Maria do Carmo, que haviam sido levados para o Juizado de Menores, sejam enviadas para um orfanato. Maria do Carmo decide se instalar no mesmo lugar onde o irmão vive, em Vila São Miguel, fictício distrito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense (RJ), e jura que dedicará sua vida a localizar a filha Lindalva.

Segunda fase

Na segunda fase da novela, é o ano de 1994, 26 anos se passam, e Maria do Carmo é uma mulher forte e bem-sucedida, mãe dedicada, dona da loja de material de construções Do Carmo, querida e respeitada em Vila São Miguel por sua ética e generosidade. Ainda sofre muito pois nunca mais teve notícias de Lindalva, e ninguém achou o paradeiro da sequestradora que pensa se chamar Lourdes. Ela mantém um antigo relacionamento amoroso com Dirceu, agora editor e colunista político de um grande jornal carioca. Os dois moram em casas separadas e vivem uma relação tranquila. Mas a nordestina tem um outro admirador: o agora ex-bicheiro Giovanni Improtta, que liquidou honestamente todas suas contas passadas e ganha a vida como presidente da escola de samba Unidos de Vila São Miguel e disputa com Dirceu o amor de Maria do Carmo. Uma de suas características é a inseparável gravata borboleta, além do esforço para falar corretamente, que o leva a cometer vários erros de português. Seu modo de falar caiu nas graças do público, que reproduzia nas ruas expressões como “felomenal” (ao invés de “fenomenal”). Entre as frases popularizadas pelo personagem estão: "Há malas que vêm de trem!"; "Vou me pirulitar-me"; "Não esqueça do meu lema: com Giovanni Improtta não tem problema"; "Então fica o dito pelo não dito, o não dito pelo dito e, como sempre, vale o escrito"; "Aqui se faz, aqui se paga"; "Na vida, como no restaurante, a conta sempre chega"; "Saída istrastégica"; "A vaca vai voar!", "O tempo ruge, e a Sapucaí é longa!", "Giovanni Improtta, em charme e osso". Giovanni é pai de João Manoel e Jenifer. Viúvo, mora com os filhos e a sogra, Flaviana. Tem como namorada a aspirante a celebridade Danielle, a quem chama de "Ninfa Bebê" (e é chamado por esta de "Paizinho"). Mas o ex-bicheiro, que vive repetindo não dever nada à polícia nem ao fisco, é apaixonado mesmo por Do Carmo, tendo de disputar o seu amor com o rival Dirceu, a quem se refere como "troca-letras".

Sebastião, o irmão de Maria do Carmo, casou-se com Janice e tem três filhos: Eleonora, Venâncio e Regininha; É motorista do refinado Pedro Correia de Andrade e Couto, o Barão de Bonsucesso, e de sua esposa, a baronesa Laura – um casal alegre que gosta de celebrar a vida, embora não tenha mais a mesma situação financeira de tempos atrás. O dinheiro do barão é administrado por seu filho, Leonardo, que vive reclamando dos excêntricos gastos do pai. Após conhecer Giovanni Improtta, o barão aceita ser seu personal stylist e passa a dar aulas de etiqueta ao ex-bicheiro, que se dirige a Laura como Dona Baroa, garantindo muitos momentos cômicos na história. No decorrer da trama, a baronesa descobre sofrer do Mal de Alzheimer.

Os filhos de Maria do Carmo estão encaminhados na vida. O mais velho, Reginaldo, virou um político ambicioso que não se furta em tentar tirar proveito da popularidade da mãe, avessa ao seu perfil populista e demagógico. Maria do Carmo sempre soube que Reginaldo, conhecido como Naldo, nunca valeu nada e sempre foi falso e a favor do pai que os abandonou na miséria. Reginaldo quer se tornar prefeito de Vila São Miguel e faz campanha pela emancipação da localidade, que fica no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense (RJ). É casado com Leila, com quem tem dois filhos, Bruno e Bianca, mas mantém um caso secreto com sua assessora parlamentar Viviane, tão ambiciosa quanto ele. Leila descobre a infidelidade do marido e, disposta a flagrá-lo com a amante, pede ajuda a Venâncio, primo de Reginaldo, para seguir os dois até um motel. Ela tenta passar para o quarto de Reginaldo pela mureta, mas sofre um acidente fatal ao cair do prédio. Esperto, Reginaldo inverte a situação, acusa a mulher de ser amante do primo, e o convence a não desmentir a história. Sebastião acredita e expulsa Venâncio de casa, inconformado com o fato de ele ter se envolvido com a esposa do próprio primo. O motorista só faz as pazes com o filho depois que ele sofre um acidente e fica entre a vida e a morte, sendo salvo graças a uma doação de sangue feita pelo próprio pai. Mesmo tendo sido perdoado, Venâncio faz questão de contar ao pai a verdade sobre a morte de Leila. Sebastião fica revoltado com a atitude do sobrinho, mas não pode contar a verdade, pois prejudicaria o filho, que mentiu para a polícia. Já Reginaldo, viúvo, se casa com Viviane, e a dupla arma muitas tramoias ao longo da trama em prol de seus interesses pessoais. Entre as armações, estão o falso sequestro do próprio filho, a prisão da mãe e os assassinatos dos marginais Cigano e Seboso.

Leandro, segundo filho de Maria do Carmo, trabalha como contador para Giovanni. Ele tem um conturbado relacionamento com a mulher, Marinalva, destaque da escola de samba Unidos de Vila São Miguel (mais conhecida como Nalva), que esconde uma paixão pelo cunhado Viriato, o que provoca muitos conflitos em seu casamento.

Viriato, terceiro filho de Maria do Carmo, é maître do restaurante de Edgard Legrand, Monsieur Vatel, em Ipanema, na zona sul da cidade. Seu destino se cruza com o de Maria Eduarda, a Duda, quando ele a salva de um assalto. Os pais de Eduarda, Leonardo e Gisela, não aceitam o namoro da filha com um homem de classe inferior e fazem o que podem para vê-la casada com o jovem deputado federal Thomas Jefferson. No final, Leonardo descobre que é filho do mordomo Alfred com uma cozinheira que morreu no parto, tendo sido adotado pelo Barão, o que muda sua visão sobre a vida.

O caçula, Plínio, é um jovem mulherengo que não quer saber de trabalho e só pensa em curtir a vida. Ele acaba caindo na armadilha da independente Yara, mulher alguns anos mais velha, que quer ser mãe e o escolhe como “pai de aluguel”, sem nem ao menos consultá-lo. Embora só quisesse usá-lo, Yara é obrigada a recorrer a Plínio quando a empresa em que trabalha vai à falência. Pela primeira vez, então, o rapaz encara uma responsabilidade na vida.

Lindalva, a caçula roubada de Maria do Carmo e batizada como Isabel, transformou-se em uma jovem doce e bonita, que tem uma relação de carinho, amor, respeito e cumplicidade com a perturbada e perigosa psicopata Nazaré, que ela pensa ser sua mãe. Nazaré ainda vive com José Carlos e está sempre em guerra com a enteada Maria Cláudia, que foi morar com o pai após sua mãe, abandonada pelo marido, sucumbir à depressão e morrer.

A farsa de Nazaré começa a vir à tona quando o fotógrafo Rodolfo entrega a Dirceu a foto de uma enfermeira grávida com um bebê no colo, tirada por ele durante o tumulto no centro do Rio, em 13 de dezembro de 1968. Maria do Carmo e Leandro reconhecem a sequestradora. Dirceu pede a Rodolfo que use programas de computador para “envelhecer” a foto e chegar ao rosto atual da mulher. Depois, consegue que a história de Maria do Carmo seja tema de um programa investigativo na TV. José Carlos assiste ao programa e diz à Nazaré que vai denunciá-la. Os dois discutem, e ela o empurra da escada de casa. No chão, com fortes dores no peito, pede à Nazaré que pegue o seu remédio, mas ela não o socorre.

Com a morte do homem que ela pensa ser seu pai e ama muito, Isabel começa a trabalhar no restaurante Monsieur Vatel. Ela e Edgard se apaixonam, e o maître Viriato nem imagina que a namorada do patrão é sua irmã desaparecida. O namoro de Isabel e Edgard deixa Nazaré desesperada, pois o rapaz é neto de Madame Berthe. No final da trama, o receio de Nazaré se justifica: é o diário da cafetina que confirma a história do sequestro. Antes disso, porém, a vilã apronta muitas. Ela passa a ter como amante e aliado o inescrupuloso Josivaldo, o marido safado de Do Carmo, que volta para a família depois de tê-la abandonado para ficar com uma ricaça que não quis mais, pedindo pensão alimentícia à mulher.

Enquanto Maria do Carmo continua a busca pela filha, Dirceu e Giovanni tentam a todo custo localizar a menina. Em uma dessas tentativas, aparece Angélica, que foi encontrada ainda bebê no mesmo dia do desaparecimento de Lindalva. Mas a alegria de Maria do Carmo dura pouco: Angélica tem uma pinta de nascença na perna e, portanto, não pode ser a filha sequestrada. Mesmo assim, Maria do Carmo a acolhe em casa e faz dela sua secretária na loja. Angélica se envolve com Plínio, e os dois acabam se casando. No decorrer da trama, ela reencontra sua verdadeira mãe, Belmira, mas se decepciona ao descobrir que esta a abandonou para se casar com um milionário por interesse. Por isso resolve manter a história em segredo. Mas Reginaldo e Viviane descobrem e a obrigam a colaborar com as obras superfaturadas da prefeitura de Vila São Miguel, emitindo notas fiscais frias na loja de Do Carmo, e ameaçam contar a verdade sobre sua origem à família Ferreira da Silva caso ela não os obedeça. Angélica cede a chantagem, mas um dia a armação é descoberta pelos fiscais da Receita Federal que surgem na loja. Ela consegue fugir, mas Maria do Carmo acaba sendo responsabilizada pelos atos ilícitos e é presa em flagrante por sonegação fiscal e desacato à autoridade. Reginaldo descobre que Angélica está escondida na casa da verdadeira mãe e a ameaça de morte se ela não sair da cidade, pois teme que a cunhada revele que ele está envolvido no esquema. Mas Plínio consegue localizar a mulher, descobre sua verdadeira história, e a obriga a contar a verdade á polícia. E assim consegue provar a inocência de Do Carmo, que promete mandar Reginaldo para a cadeia.

O cerco contra Nazaré vai se fechando, com a colaboração de vários amigos de Maria do Carmo, inclusive Cláudia. Ela também se torna aliada da nordestina, pois sempre odiou a madrasta e sofreu muito desde pequena em suas mãos. Cláudia conhece Leandro, que está interessado em Isabel sem desconfiar de que ela é sua irmã Lindalva. Ele passa por um momento difícil, pois decidiu se separar de Marinalva, e confunde a amizade de Isabel com amor. Cláudia o alerta sobre seus sentimentos, os dois se aproximam e acabam se apaixonando.

A escada da casa da personagem e sua tesoura viraram símbolos da sua personalidade psicótica. Ao mesmo tempo, Nazaré provocava risadas com seus xingamentos – entre outras expressões, ela se referia a Maria do Carmo como “anta nordestina”, chamava Cláudia de “songa monga” e Josivaldo, de “flageladão” – e também fazia rir nas cenas em que se auto-elogiava diante do espelho. Entre suas "pérolas", dizia frases como: "Gostosa! Impressionante como o tempo só te valoriza", "Eu nasci linda e loira. Uma alemãzona!", "Loiraça gostosa, gostosona, bocão. Ah, se eu te pego!", "Você é má… maravilhosa!", "Eu sou boa pra dedéu", "Raposa linda, loira e felpuda", "Quando crescer quero ser que nem você, Nazaré Tedesco". Um dos grandes momentos da trama foi o encontro de Nazaré com Maria do Carmo, que lhe dá uma boa surra que a deixa ensanguentada e quebrada.

Mesmo após descobrir que foi roubada de sua mãe verdadeira, Isabel ainda leva um tempo até aceitar Do Carmo como mãe. Nazaré pede desculpas a Isabel, diz que a sequestrou porque José Carlos a obrigou - tudo mentira! Dividida e sensibilizada, Isabel decide ficar ao lado da megera, pois foi criada por ela como mãe e a ama muito, até dar-se conta de seu verdadeiro caráter.

Jenifer, a estudiosa filha de Giovanni, e Eleonora, filha de Sebastião, apaixonam-se, e, após muita resistência, os pais se veem obrigados a aceitar o romance, passando por cima dos preconceitos. As duas assumem a relação, passam a viver juntas e adotam um recém-nascido, abandonado próximo ao hospital onde Eleonora trabalha como médica. Jenifer e Eleonora não formaram o único casal homossexual na trama: o carnavalesco Ubiracy, o Bira, também tinha o seu par, Turcão, um saradão sentimental.

A comunidade de Pedra Lascada, localizada em Vila São Miguel, é cenário para a história de Rita de Cássia. Mãe de Lady Daiane e Maikel Jackson, Rita é vítima de violência doméstica e dependência química. Ela apanha do marido, o marginal e mau-caráter Cigano – que está preso no início da trama –, e trava uma luta contra as drogas. Sua vida fica ainda mais tumultuada quando a filha, de apenas 15 anos, engravida de Shao Lin. Ele é um “marginalzinho” temido na comunidade (seu verdadeiro nome é Políbio), líder de uma turma de desocupados, e não quer assumir a paternidade da criança. Depois, Rita passa a namorar o taxista português Constantino, que enfrenta Cigano em nome de seu amor. Daiane, já com o filho nos braços, engravida novamente, desta vez de Bruno, o filho de Reginaldo, mas perde o bebê. No final da trama, Shao Lin vira um rapaz responsável, percebe que é apaixonado por Daiane e assume o filho. Daiane, por sua vez, começa a trabalhar na educação de jovens meninas, prevenindo-as das dificuldades de uma gravidez precoce.

Um outro tema que causou repercussão foi o drama vivido por Seu Jacques;. Ele se transformou em uma espécie de representante dos aposentados que sofrem com os atrasos, omissões, descasos e humilhações impostos pelo INSS. Indignado, vive repetindo sua história por onde passa: ex-vendedor, teve a aposentadoria calculada de forma errada e seu pedido de revisão tramita há sete anos. Seu Jacques, em cenas bem-humoradas, virou um "cronista" implacável do cotidiano, com análises precisas e cortantes da realidade.

Seu Jacques se apaixona por Djenane, antiga colega de Nazaré no bordel, que reaparece na vida da ex-prostituta para chantageá-la, pois foi testemunha junto com Madame Berthe que Nazaré sequestrou e forjou o parto de Lindalva (Isabel), e ameaça contar tudo para Isabel se Nazaré não lhe der muito dinheiro, pois ela sabe onde está o diário de Madame Berthe que incrimina Nazaré. Durante uma discussão com Nazaré, Djenane cai da escada e morre. Com medo de ser considerada suspeita da morte da colega, a megera arma uma situação para que pensem que Djenane roubara suas joias e muito dinheiro da sua casa e, na correria, teria tropeçado e caído da escada. No final da trama, Seu Jacques conhece a irmã de Djenane e os dois terminam juntos. O cénário do núcleo é o Bairro Peixoto, em Copacabana (zona sul do Rio). Nazaré aprontou muito e aprontará mais: matou um amante seu eletrocutado, roubou muito dinheiro de um banco e tentou matar Cláudia a tesouradas, além de fazer chantagem emocional com Isabel. Nazaré não tem limites e fará muito mal a Do Carmo junto com Josivaldo.

A atriz Marília Gabriela retorna à novela no papel de Guilhermina, a filha de Josefa, que se torna um obstáculo na realização de um antigo sonho de Sebastião e Dirceu: reabrir o Diário de notícias. Guilhermina tenta impedir o leilão de um original do pintor Cézanne, que Josefa havia deixado para Sebastião, e cuja renda seria usada para a reabertura do jornal. A tela permaneceu vários anos escondida no Ford Galaxie que Sebastião herdou de sua ex-patroa e mantém guardado em sua garagem. Apesar dos entraves, o jornal é reaberto, e nele passam a trabalhar Cláudia, Alberto e Rodolfo. Guilhermina e Dirceu se estranham em um primeiro momento, e seus encontros sempre terminam em troca de acusações. A hostilidade mútua dá lugar à paixão, e os dois ficam juntos no fim da história, depois que Maria do Carmo aceita se casar com Giovanni.

Nazaré morre após atirar-se de uma ponte na cachoeira de Paulo Afonso, na Bahia. Ela se suicida após sequestrar Linda, a filha de Isabel e Edgard. Diante de Isabel, porém, ela se redime e lhe entrega o bebê antes de saltar para a morte.

Reginaldo, denunciado por suas falcatruas na prefeitura de Vila São Miguel, é hostilizado pelo povo. Ele resolve fazer um comício, onde espera, mais uma vez, ludibriar os eleitores. Sebastião, porém, revela a verdade sobre a morte de Leila à Maria do Carmo, que, por sua vez, conta tudo ao eleitorado. Reginaldo é apedrejado pelos populares. Uma pedra em particular, atirada por seu ex-cabo eleitoral Merival, o atinge na cabeça e ele morre. Viviane culpa a sogra pelo acontecido.

Leandro se casa com Cláudia, que engravida. Viriato, após passar um período na França especializando-se em culinária, volta ao Brasil e reata com Duda, que está grávida, com quem havia se casado. Plínio, casado com Angélica, que engravida dele, ganha de Yara a permissão para ficar com o filho Dado, já que ela vai se mudar para o Japão. Regininha engravida do namorado João Manoel, e os dois apressam o casamento. Danielle e Venâncio, casados, descobrem que vão ser pais. Marinalva se casa com o deputado Thomas Jefferson, e Viviane vira esposa do senador Victório Vianna (personagem da novela Porto dos Milagres, que retornou em Senhora do Destino como senador, interpretado em ambas as versões por Lima Duarte). Josivaldo acaba nas ruas, como um mendigo maltrapilho e enlouquecido. Através de uma narração feita por Maria do Carmo, os telespectadores ficam sabendo do futuro dos jovens personagens: Daiane ganha o prêmio Nobel da Paz por sua atuação social; e Bianca, sua neta e filha de Reginaldo, é eleita prefeita de Vila São Miguel.

Produção

A novela possuiu uma primeira fase de quatro capítulos mostrando o tema da ditadura militar no Brasil. Após isso, a história acontece num tempo fictício, que possuía características do início dos da década de 90 e dos anos 2000, como declarado pelo autor. Isso suscitou diversas críticas, já que, pela idade dos filhos de Maria do Carmo(que aparentam ter entre 30 e 35 anos), presume-se que a história se passava aproximadamente 25 anos depois do AI-5 (entre 1993 e 1994) e eram mostrados carros atuais, o real como moeda, adotado apenas em 1994, e merchandising de produtos não existentes na época em questão.

A primeira fase foi do capítulo 1, em 1968, até o capítulo 3, no ar em 30 de junho de 2004, uma quarta-feira, onde o público foi apresentado a Maria do Carmo, nos dias de hoje. O sotaque nordestino de Susana Vieira chamou atenção na época, mas a interpretação da atriz foi bastante elogiada [carece de fontes?].

Nazaré, a antagonista principal da trama, que Renata Sorrah brilhantemente fez, é considerada uma das piores vilãs da história[carece de fontes?], se equiparando à outras como Odete Roitman (Beatriz Segall, em Vale Tudo, 1988/89); Flora Pereira da Silva (Patrícia Pillar, em A Favorita, 2008/09), Bia Falcão (Fernanda Montenegro, em Belíssima, 2005/06) e Laura Prudente da Costa (Cláudia Abreu, em Celebridade, 2003/04) por causa das suas maldades. O seu final foi marcante: ela se jogou de uma ponte a 90 metros de altura na cidade de Paulo Afonso, Bahia. Na trama, ela matou várias pessoas, tal como seu marido José Carlos. Além de aterrorizar a vida de sua enteada Cláudia (Leandra Leal), ela também tinha um apelido para uns dos personagens da novela: "anta nordestina" (Do Carmo); "ingrata" (Isabel); "bicheiro" (Giovanni); "songamonga" (Cláudia); "morta-viva" (Eduarda); cavalão (Madruga), etc. Este tenha sido, talvez, o melhor personagem de toda a carreira de Renata Sorrah, tamanha o talento que a atriz imprimia em suas cenas[carece de fontes?].

A atriz Miriam Pires, que interpretava Clementina, cozinheira e amiga de Do Carmo (Suzana Vieira), faleceu no dia 7 de setembro de 2004, uma terça-feira, enquanto ia ao ar, o capítulo 62, vítima de toxoplasmose.[8] Para suprir sua ausência, Cristina Mullins continuou a viver Aurélia, filha de Clementina, e mãe de Políbio. Aurélia possuía basicamente as mesmas atribuições que Clementina. Na trama, a personagem não morreu, estava apenas doente e reclusa em seu quarto, recuperando-se. Foi lançado na vida real, o livro "A Cozinha de Dona Clementina", trazendo diversas receitas. Na novela, fez-se uma homenagem à atriz no capítulo no qual o livro fora lançado.

Como já acontecera em outras novelas de Aguinaldo Silva, mais uma vez, um personagem de suas novelas anteriores voltava à cena: Victório Vianna, personagem de Lima Duarte, em Porto dos Milagres, exibida em 2001.

Exibição

Abertura

A abertura da novela se dava ao som de Encontros e Despedidas (composição de Milton Nascimento e Fernando Brant, interpretada por Maria Rita),[3] mostrando fotos de pessoas, sendo que as fotos coloridas eram dos atores da novela enquanto as em preto-e-branco eram de anônimos. A novela também foi satirizada pelo Casseta & Planeta, Urgente! com o nome de "Sem Hora Pro Intestino", trocando a música de abertura para: "As fotos coloridas são de atores da Globo, e as em preto-e-branco devem ser de figurantes…". Esta música-sátira teve uma variante especial de Natal em 2004 onde cantava-se: "Os atores da Globo vão encher o rabo de presentes, e os figurantes vão ficar chupando os dedos…".

O próprio autor da novela, Aguinaldo Silva, foi mostado na abertura, onde pode ser visto entre os atores Leonardo Vieira e Yoná Magalhães e também dentre as centenas de figurantes existentes,como revelado no livro Almanaque da TV Globo, fruto do Projeto Memória Globo.

Audiência

A estreia da novela teve 51 pontos de audiência.[9]

Seu último capítulo teve 61 pontos de média e picos de 67.[10]

Sua média geral foi de 50,4 pontos,[11] sendo a maior média registrada na década de 2000.[12]

É possível que "Senhora" tenha mais telespectadores do que "Roque Santeiro" (1985), o maior sucesso da Globo em pontos no Ibope. Na época um ponto no Ibope representa 49,5 mil domicílios na Grande SP ("Senhora" é vista então em 2,4 milhões de lares).[13]

Na reprise sua maior audiência foi de 29 pontos,[14] seu último capítulo teve 29 pontos e sua média geral foi de 21 pontos de audiência e 66% de participação.

Exibição em outros países

Recepção

Prêmios

A telenovela de Aguinaldo Silva foi vitoriosa em vários prêmios:

Prêmio APCA (2004)[15]

Prêmio Contigo! (2005)[16]

Troféu Imprensa

Melhores do Ano - Domingão do Faustão

Prêmio Qualidade Brasil RJ (2005)[17]

Prêmio Qualidade Brasil SP (2005)[18]

Repercussão

A vilã Nazaré Tedesco interpretada por Renata Sorrah entrou para a história da teledramaturgia brasileira como uma das maiores vilãs da telenovela brasileira,[19] comparável a megeras como Odete Roitman, de Vale Tudo, Bia Falcão, de Belíssima, Laura Prudente da Costa, de Celebridade e Flora Pereira da Silva, interpretada por Patrícia Pillar em A Favorita.

A novela foi reapresentada na sessão Vale a Pena Ver de Novo, na TV Globo, de 2 de março de 2009[20] a 21 de agosto de 2009, substituindo Mulheres Apaixonadas, de Manoel Carlos. A reprise teve classificação para maiores de 10 anos,[1] diferente da versão original exibida em 2004 e 2005, classificada para maiores de 14 anos.

Elenco

Em ordem de abertura
Ator[7]↓ Personagem[21]↓
Susana Vieira Maria do Carmo Ferreira da Silva (Do Carmo)[6]
José Mayer Dirceu de Castro (Troca-Letras)
José Wilker Giovanni Improtta (Geová)
Carolina Dieckmann Isabel Esteves Tedesco (Lindalva Ferreira da Silva) / Maria do Carmo (jovem)
Eduardo Moscovis Reginaldo Ferreira da Silva (Naldo)
Marcello Antony Viriato Ferreira da Silva
Débora Falabella Maria Eduarda Corrêia de Andrade e Couto Ferreira da Silva (Duda)
Leonardo Vieira Leandro Ferreira da Silva
Dado Dolabella Plínio Ferreira da Silva
Ângela Vieira Gisela de Andrade Couto
Nelson Xavier Sebastião Ferreira da Silva
Yoná Magalhães Flaviana Meira
Miriam Pires Clementina Vieira da Silva
Dan Stulbach Edgard Legrand
José de Abreu Josivaldo da Silva (Seu Josi)
Wolf Maya Leonardo Corrêia de Andrade e Couto
Leonardo Miggiorin Políbio Vieira dos Santos (Shao Lin)
Leandra Leal Maria Cláudia Tedesco (Claudinha)
Heitor Martinez João Manoel Improtta
Adriana Lessa Rita de Cássia das Neves
Mara Manzan Janice Ferreira da Silva
André Gonçalves Venâncio Ferreira da Silva
Maria Maya Regina Ferreira da Silva (Regininha)
Mylla Christie Eleonora Ferreira da Silva
Bárbara Borges Jennifer Improtta
Mário Frias Thomas Jefferson Bezerra de Souza
Ludmila Dayer Danielle Meira
Carol Castro Angélica
Thiago Fragoso Alberto Pedreira
André Mattos Vanderlei Madruga (Madruga)
Cristina Mullins Aurélia Vieira da Silva
Flávio Migliaccio Jaques Pedreira
Reinaldo Gonzaga Rodolpho
Stella Freitas Cícera
Cristina Galvão Jandira
Sílvia Salgado Aretuza
Gottsha Crescilda Duarte
Malu Valle Shirley
Ronnie Marruda Josué das Neves (Cigano)
Participações especiais
Ator Personagem
Glória Menezes Baronesa Laura Corrêa de Andrade Couto
Raul Cortez[nota 3] Pedro Correia de Andrade e Couto (Barão de Bonsucesso)
Italo Rossi Alfred
Helena Ranaldi Yara Steiner
Atrizes convidadas
Ator Personagem
Renata Sorrah Maria de Nazaré Esteves Tedesco
Letícia Spiller Viviane Vianna Ferreira da Silva
Marília Gabriela Josefa Medeiros Duarte Pinto / Maria Guilhermina
Apresentando
Ator Personagem
Tânia Kalil Marinalva Ferrari (Nalva)
Nulo Melo Constantino Pires
Jéssica Sodré Daiane das Neves
Agles Steib Maikel Jackson das Neves
Leonardo Carvalho Gatto
As Crianças
Ator Personagem
Marcela Barrozo Bianca Ferreira da Silva
Thadeu Matos Bruno Ferreira da Silva
Elenco de apoio

Elementos da novela

GRES Unidos de Vila São Miguel

Unidos de Vila São Miguel
Cores Azul, Laranja e Branco
Bairro Centro de Vila São Miguel
Presidente de honra Giovanni Improtta (José Wilker)
Intérprete oficial Crescilda (Gottsha)
Rainha da bateria Nalva Ferrari (Tânia Khalill)
Madrinha da bateria Danielle Meira (Ludmila Dayer)

O Grêmio Recreativo e Escola de Samba Unidos de Vila São Miguel é a escola de samba financiada por Giovanni Improtta (Geová), com sede na Vila São Miguel.

Como a história de Senhora do Destino se inicia durante a Ditadura Militar, e após isso há uma passagem de tempo suficiente para que os filhos de Maria do Carmo aparentem ter entre 20 e 30 anos, presume-se que a história atual tenha se passado em uma época por volta de 25 anos depois do AI-5. No entanto, constantemente eram mostrados carros da época em que a novela era exibida, o real como moeda corrente e merchandising de produtos não existentes na época em questão. Esses erros da direção levantaram algumas críticas à novela.

Já mais para o fim da trama, a escola de samba da Vila São Miguel, torna-se campeã do Grupo de acesso do Carnaval da cidade do Rio de Janeiro, e após uma nova passagem, no ano seguinte, conquista a terceira colocação do Grupo Especial, tendo como enredo a própria personagem principal da novela, Maria do Carmo, por quem o patrono da escola de samba era apaixonado.

Embora na vida real, normalmente as escolas de samba em seu primeiro ano, no Grupo Especial, apenas lutam, para não serem rebaixadas, na novela, a terceira colocação no Grupo Especial foi estranhamente recebida com decepção pela comunidade. Um fato curioso foi o autor ter usado como justificativa para essa terceira colocação, e, não a primeira, como todos queriam, a perda de pontos no quesito enredo, uma vez que os jurados não entenderam a cronologia da história, fazendo uma referência às próprias críticas que a novela vinha recebendo.

Para a apresentação na novela, foram utilizadas cenas da escola de samba Grande Rio, já que vários artistas aparecem nessa escola de samba, como a própria protagonista, Susana Vieira.

Músicas

Trilha Sonora Nacional

Senhora do Destino Nacional
Trilha sonora por Vários intérpretes
Lançado em 2004
Gênero(s) Vários
Formato CD
Gravadora(s) Som Livre
Produção Edom Oliveira
Cronologia de Vários intérpretes
 

Capa: Susana Vieira

  1. "Se acontecer" - Djavan (tema de Dirceu)
  2. "É festa" - Simone (tema de Reginaldo e Viviane)
  3. "Tudo vira bosta" - Rita Lee (tema de Giovanni)
  4. "Fantasias" - Leonardo (tema de Leandro)
  5. "Dono dos teus olhos" - Gal Costa (tema de Maria do Carmo)
  6. "Encontros e despedidas" - Maria Rita (tema de abertura) [3]
  7. "Qual é?" - Marcelo D2 (tema de Shoa Lin e Daiane)
  8. "Uma louca tempestade" - Ana Carolina (tema de Isabel)
  9. "Dream A Little Dream Of Me" - Zélia Duncan (tema de Pedro e Laura)
  10. "Tudo que há de bom (Traveling Alone)" - Luiza Possi (tema de Viriato e Maria Eduarda)
  11. "Vem ni mim" - Dado Dolabella (tema de Plínio)
  12. "Máscara" - Pitty (tema de Shao Lin)
  13. "A medida da paixão" - Pedro Mariano (tema de Leandro e Nalva)
  14. "Corações psicodélicos" - Karla Sabah (tema de Leonardo e Gisela)
  15. "Olhos tristes" - Fabian (tema de Rita de Cássia)

Trilha Sonora Internacional

Senhora do Destino Internacional
Trilha sonora por Vários intérpretes
Lançado em 2004
Gênero(s) Vários
Formato CD
Gravadora(s) Som Livre
Produção Edom Oliveira
Cronologia de Vários intérpretes

Capa: José Wilker

  1. "I Guess I Loved You" - Lara Fabian (tema de Maria Eduarda e Viriato)
  2. "Sorry Seems To Be the Hardest Word" - Ray Charles Feat. Elton John (tema de Dirceu e Guilhermina)
  3. "I Want to Know What Love Is" - Wynonna (tema de Isabel e Edgard)
  4. "Como me acuerdo" - Robi Draco Rosa (tema de Mariane)
  5. "Those Sweet Words" - Norah Jones (tema de Eleonora e Jenifer)
  6. "Calling All Angels" - Lenny Kravitz (tema de Maria Cláudia e Leandro)
  7. "The Closest Thing to Crazy" - Katie Melua (tema de Maria do Carmo e Dirceu)
  8. "It's Over Now" - Natasha Thomas (tema de Daiane e Bruno)
  9. "This Love" - Maroon 5 (tema de Venâncio e Danielle)
  10. "Blond Thang!" - Babootz & Da Big Boy Daddy (tema de Tema de Shao Lin)
  11. "Free" - Donavon Frankenreiter (tema de João Manuel)
  12. "Singin' in the Rain" - Jamie Cullum (tema de Guilhermina)
  13. "Che sono innamorato (Estoy enamorado)" - Luciano Bruno (tema de Giovanni)
  14. "Long Night" - The Corrs (tema de Nalva)
  15. "Daughters" - John Mayer (tema de Plínio e Angelica)
  16. "Ya my Queen" - Houston Aakon (tema de Shao Lin e Dayane)
e ainda (como trilha sonora incidental)

Notas

  1. A classificação de programa inapropriado para menores de 12 anos foi atribuída no dia 25 de agosto de 2009, cinco dias após a publicação no Diário Oficial da União, para a versão do "vale a pena ver de novo".[2]
  2. A classificação de programa inapropriado para menores de 14 anos foi atribuída para a versão original transmitida entre 28 de junho de 2004 e 12 de março de 2005.
  3. "Senhora do Destino" foi o último trabalho em novelas do ator Raul Cortez,[22] que faleceu em 2006.[23]