Paraíso Tropical

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 
Ir para: navegação, pesquisa
Paraíso Tropical
Informação geral
Formato Telenovela
Classificação etária Inadequado para menores de 14 anos DJCTQ (Brasil)
Duração 50 min. aproximadamente
Criador Gilberto Braga
Ricardo Linhares
País de origem Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Dênis Carvalho
 
Elenco original Alessandra Negrini
Fábio Assunção
Wagner Moura
Camila Pitanga
Glória Pires
Tony Ramos
Renée de Vielmond
Bruno Gagliasso
Vera Holtz
Rodrigo Veronese
ver mais
Tema de abertura "Sábado em Copacabana", Maria Bethânia
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil Rede Globo
Formato de exibição 480i (SD)
Transmissão original 5 de março de 2007
28 de setembro de 2007[1]
N.º de episódios 179 capítulos
Portal Televisão · Projeto Televisão

Paraíso Tropical foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida entre 5 de março e 28 de setembro de 2007, em seu horário das 21 horas, e totalizando 179 capítulos.

Foi escrita por Gilberto Braga e Ricardo Linhares com a colaboração de Sérgio Marques, Ângela Carneiro, Maria Helena Nascimento, Nelson Nadotti, João Ximenes Braga e Marília Garcia, e dirigida por Amora Mautner, Vinícius Coimbra, Maria de Médicis, Cristiano Marques e Roberto Vaz, com direção geral de José Luiz Villamarim e Dennis Carvalho, e direção de núcleo de Dennis Carvalho. Foi ao ar substituindo Páginas da Vida, de Manoel Carlos, e substituída por Duas Caras, de Aguinaldo Silva. A trama foi indicada ao Emmy 2008 na nova categoria de melhor novela.[2]

Contou com a atriz Alessandra Negrini, que interpretou as gêmeas Paula e Taís, Fábio Assunção, Glória Pires, Tony Ramos, Wagner Moura e Camila Pitanga nos papeis principais.

Em Portugal, foi a produção mais curta dentre as novelas das oito da Globo desde Suave Veneno, de Aguinaldo Silva, que foi ali apresentada com cerca de 130 capítulos. No Brasil Suave Veneno teve 209 capítulos, então Paraíso Tropical foi a novela mais curta do horário desde Explode Coração, de Glória Perez, que teve 155 capítulos.

História

Sinopse

Antenor Cavalcanti é um empresário poderoso, frio, filho de um ex-presidiário trambiqueiro, Belisário, de quem quer distância. Perdeu seu único filho, Marcelo, quando este tinha dezesseis anos. Vê no filho de seu caseiro Nereu, o jovem Daniel Bastos, o possível herdeiro de suas empresas. Casado com Ana Luísa, Antenor tem uma amante, a bela Fabiana, advogada do Grupo Cavalcanti. Ele ainda se envolve com outras mulheres. Antenor decide expandir seus negócios. Ele agora pretende também atuar no ramo de resorts. O ambicioso Olavo, resolve lutar pelo posto de herdeiro do patrão e conquistar tal posição a qualquer preço. Seu principal obstáculo está em Daniel, rapaz de excelente caráter, que, além de bonito e charmoso, é inteligente e competente. Numa viagem à Bahia, para fechar a compra de um belíssimo terreno à beira-mar para o primeiro resort do Grupo, Daniel conhece e se apaixona por Paula Viana, gerente de uma pequena e charmosa pousada. O casal planejará ser feliz em alguma pousada do Nordeste,[3] trabalhando sem se estressar muito, mas eis que surge Olavo, disposto a qualquer coisa para não deixar que o poder no Grupo Cavalcanti caia nas mãos do filho de um empregado. E, assim, seus golpes levarão à separação de Daniel e Paula.

Paula é filha da cafetina Amélia. Esta comanda um bordel no resort baiano, onde trabalham várias 'meninas', como Bebel. Com um certo desvio de caráter, mas sempre exuberante, ela se diz com muita "catiguria". Levada para o calçadão de Copacabana pelo cafetão Jáder, Bebel conhecerá o homem de sua vida: Olavo, e, juntos, os dois serão capazes de qualquer coisa.Apesar disso, Bebel tem bom coração, e fará tudo por Olavo porque realmente ama ele, mesmo ele sendo mau-caráter, muito cruel e perverso.

Até as vésperas da morte de Amélia, Paula acreditava ser sua filha com um cliente desconhecido de sua mãe, porém descobre que tem outra filiação. Já separada de Daniel, Paula parte para o Rio de Janeiro em busca de suas raízes, mais precisamente de Isidoro, o avô que desconhecia ter. Ela ainda não sabe, mas tem uma irmã gêmea idêntica; e uma não sabe da existência da outra. Antes de reencontrar sua amada, Daniel vai se deparar com Taís Grimaldi, idêntica a Paula. Carreirista e tão ambiciosa quanto Olavo, Taís vive na periferia da sociedade carioca, mendigando convites e notinhas com seu nome em colunas sociais e aplicando golpes no high society. E será ela o principal algoz da própria irmã. Taís é uma mulher fútil, mau-caráter, mentirosa e é capaz de tudo por dinheiro. Paula, sua irmã, é o total oposto.

Já os moradores de Copacabana estão, de alguma forma, ligados à rede hoteleira de Antenor. Entre eles, o quase quarentão Cássio, um tipo bem carioca, sempre de bem com a vida, mas que nunca quis um relacionamento sério com Lúcia, com quem teve um filho no passado que ele nem conhecia, Mateus. Lúcia é filha do jornalista Clemente e da professora Hermínia, seus maiores conselheiros. Sua personalidade forte e determinada, vai conquistar o frio Antenor, que se apaixonará de verdade por ela.

Outra ilustre moradora de Copacabana é Marion Novaes, mãe de Olavo e Ivan, um bad-boy desajustado. Promoter fútil, cínica, divertida, chique e esnobe, ambiciona fazer parte do glamouroso mundo da alta sociedade carioca. Para chegar lá, encontrou um atalho: produz eventos nos melhores hotéis da cidade. Marion procura as amizades necessárias para que as portas se abram. Bajula do jeito que pode as mulheres ricas e famosas, como a frágil Ana Luísa.

O Edifício Copamar agita o bairro. É lá que mora a família de Heitor Schneider. Sua mulher, a frívola Neli, é doida para trocar o Copamar por um apartamento em endereço mais nobre, num bairro como o Leblon, por exemplo. Despreza Umberto, namorado de sua filha mais velha, Joana, porque é garçom, mas investe pesado no romance da mais nova, Camila, com Fred, um jovem executivo paulistano que veio trabalhar no Grupo Cavalcanti, mais precisamente, no lugar de Heitor.

Mas o que agita o Copamar são as homéricas brigas entre Virgínia Batista e Iracema Brandão, a síndica moralista do prédio, que ela muito se orgulha de ter "posto nos eixos". Com seu espírito de liderança e valores bastante convencionais, Iracema valorizou o edifício, outrora parcialmente mal frequentado. Virgínia é madrasta de Antenor, e apesar de já ter passado dos 60, tem o corpo em plena forma, sendo invejada por muitas mulheres da sociedade. Ninguém sabe porque se odeiam. As duas vão bater de frente a partir do momento em que Virgínia for morar no prédio.

Após Taís e Olavo armarem muitas ciladas para separar Paula e Daniel, os dois se casam e a gêmea má sequestra a irmã no dia do matrimônio. Taís e seu amante e cúmplice Ivan atiram Paula no oceano, forjam um acidente no mar, e Taís se coloca no lugar de Paula.[4] Porém, a gêmea boa é resgatada por Olavo, que a interna num hospício, e tenta mantê-la sempre dopada. O vilão descobre a farsa de Taís, e passa a chantageá-la para que ela faça Daniel assinar documentos, que podem ser usados para que Olavo abra uma conta no exterior com o nome do rival, e para lá, desvia dinheiro da empresa de Antenor. Daniel é acusado do crime, e ainda descobre que está morando com Taís. Ele resgata Paula, que volta ao Rio de Janeiro fingindo ser a irmã.

Desmascarada, Taís chega a ser abandonada e agredida por Ivan. A vilã planeja fugir do Brasil, mas acaba assassinada misteriosamente na casa de Daniel e Paula, que chega a ser presa, acusada da morte de Taís. Olavo e Bebel planejam um golpe contra Antenor. A prostituta engravida do amante, seduz Antenor e mente que está grávida do empresário. Ele se casa com ela, e se afasta de Lúcia, sem saber que ela espera um filho dele. No último capítulo, Olavo é desmascarado por Daniel e morre após levar um tiro de Ivan, ao confessar que matou Taís, afinal, a vilã lhe chantageara: ou Olavo lhe dava dinheiro, ou ela revelava que Ivan era filho de Antenor, e que ele pretendia matar todos os herdeiros do milionário.

Último capítulo

Ivan leva um tiro de Olavo também, e morre nos braços do pai. Marion torna-se camelô; Antenor e Lúcia fazem as pazes e Paula e Daniel têm duas filhas gêmeas. Bebel é presa e condenada a um ano de prisão pela falsificação do DNA, e ao sofrer e se prostituir na cadeia, ela sai de lá após cumprir pena, conhece um deputado milionário, ladrão e bem velho que trabalha na câmara de vereadores de Brasília. Bebel, sempre esperta, se casa com ele por interesse no dinheiro e vai para Brasília. Lá ela vira assessora parlamentar, roubando muitos euros, dólares e reais. Lá, vira amante de diversos políticos milionários e ela passa a ter vida de rainha e posa nua para várias revistas, sem jamais esquecer de Olavo e do aborto que sofreu na cadeia.[5][6][7]

Produção

Exibição

A primeira novela a ser inteiramente gravada e masterizada em alta definição foi Paraíso Tropical e não Duas Caras. A diferença é que Duas Caras foi a primeira novela a ser transmitida em HD. Paraíso Tropical foi preparada para o sinal digital em filmagem, cenário, maquiagem, iluminação, edição, mas o sinal foi adiado em 3 meses e só entrou no ar 2 dias depois da término da novela. Paraíso Tropical nunca foi exibida, mas está arquivada inteiramente em HD e no formato Widescreen na Rede Globo.[1]

Paraíso Tropical foi indicada ao prêmio Emmy 2008 na nova categoria de melhor novela.[2] O International Emmy Awards, ou simplesmente Emmy, é o equivalente ao Oscar da Televisão Internacional.

Graças aos índices excelentes de audiência que Paraíso Tropical deu em seus últimos meses de exibição, os executivos da Rede Globo quiseram esticar a trama em 42 capítulos. Se fosse esticada, a trama fecharia em 221 capítulos. Mas Gilberto Braga e Ricardo Linhares se opuseram, graças à lembrança de novelas que tiveram enormes barrigas (termo usado para definir uma enorme quantidade de capítulos em que quase nada acontece na história) por causa de esticamentos tão longos, como foi o caso de Terra Nostra.

Nos primeiros capítulos da novela, nos créditos iniciais apareciam como participações especiais Susana Vieira, Otávio Augusto e Rosamaria Murtinho, respectivamente Amélia, Osvaldo e Dolores, sendo que a personagem de Ísis Valverde, Telma, é maior que Dolores e ficou mais tempo na novela. A explicação é que Rosamaria Murtinho é uma atriz extremamente experiente, e Ísis ainda está em sua segunda novela. Também foram creditados como participações especiais: Paulo Betti, Ângela Vieira e Marcelo Laham, respectivamente Lucena, Cleonice e Hugo. Depois, a seção "participações especiais" deixou de ser apresentada, ficando assim de fora dos créditos nomes de atores que fizeram participações equivalentes às creditadas, como Leopoldo Pacheco, Victor Fasano, Lúcio Mauro e Ernani Moraes (que logo incluiu-se nos créditos simples).

O ator Ed Oliveira que interpretou o cafetão Cadelão, participou do primeiro capítulo como Valdir, um pescador que quase levou a jovem Elisa para seu barco e foi interpelado por Paula.

Assim como sua personagem Bebel, Camila Pitanga também foi convidada a posar nua. Diferente de Bebel que aceitou o convite, Camila não quis posar nua e recusou o convite da revista. No último capítulo, a personagem Bebel, de Camila Pitanga foge da policia numa perseguição que culmina em perder seu bebê. Só que Camila não sabia que estava grávida também na vida real, e fez a cena de risco, se jogando no chão sem saber. Ela ficou sabendo da gravidez 4 dias depois do fim da novela.

Audiência

Recepção

Prêmios

A trama de Gilberto Braga e Ricardo Linhares foi indicada a receber vários prêmios. Eles estão listados abaixo:

Troféu Imprensa 2008[16][17]

Prêmio Tudo de Bom - Jornal "O Dia"[18]

Prêmio Qualidade Brasil SP[19]

II Prêmio Extra de Televisão[20][21]

Top Of Business[22]

10º Prêmio Contigo![23][24]

Troféu APCA (2007)[25]

Personalidade do Ano - Isto é Gente

Prêmio QUEM

Pop Tevê - UOL

Melhores do Ano - Domingão do Faustão

Troféu Internet

Prêmio Master - Jornal dos Clubes

Minha Novela

Repercussão

Elenco

em ordem da abertura da novela.
Ator[8][31] Personagem
Fábio Assunção Daniel Bastos
Alessandra Negrini Paula Viana Bastos / Taís Grimaldi[28]
Wagner Moura Olavo Novaes
Camila Pitanga Bebel (Francisbel dos Santos Batista)
Marcello Antony Cássio Gouvêia
Vera Holtz Marion Novaes[29]
Bruno Gagliasso Ivan Corrêa Novaes[32]
Beth Goulart Neli Veloso Schneider[33]
Daniel Dantas Heitor Schneider[34]
Isabela Garcia Dinorá Brandão Martelli[35][36]
Marco Ricca Gustavo Martelli[37]
Paulo Vilhena Fred (Frederico Navarro)[38]
Débora Duarte Hermínia Vilela[39]
Reginaldo Faria Clemente Vilela[40]
Renée de Vielmond Ana Luísa Cavalcanti
Hugo Carvana Belisário Cavalcanti
Yoná Magalhães Virgínia Batista
Chico Diaz Jáder
Daisy Lúcidi Iracema Brandão
Rodrigo Veronese Lucas Aboim
Fernanda Machado Joana Veloso Schneider
Gustavo Leão Mateus Vilela Gouveia[41]
Patrícia Werneck Camila Veloso Schneider Navarro
Edwin Luisi Lutero Sampaio
Guilhermina Guinle Alice Sampaio
Otávio Müller Vidal (Cupertino Vidal)
Carlos Casagrande Rodrigo Sampaio
Sérgio Abreu Tiago Batista
Marcelo Valle Sérgio Otávio
Luli Miller Gilda Batista
Lidi Lisboa Tatiana
José Augusto Branco Nereu Bastos
Eduardo Galvão Urbano Monteiro[30]
Erika Mader Susaninha (Susana Vidal)
Jonathan Haagensen Cláudio Ferreira
Ernani Moraes Delegado Hélio
Roberto Maya Xavier
Ildi Silva Yvone
Roberta Rodrigues Eloísa
Nildo Parente Pacífico
Thaís Garayp Zoraide
Juliana Didone Fernanda Navarro
Yaçanã Martins Otília
Patrícia Naves Sheyla
Nívea Helen Cristina
Raquel Parpnelli Úrsula
Larissa Queiroz Rita
Flávia Pyramo Wilma
Maria Eduarda Odete
Sandro Ximenez Carlinhos
Fábio Nascimento Luciano
Marcos Otávio William
As crianças
Ator Personagem
Dudu Cury Júlio César Brandão Martelli
Vitor Novello Zé Luís (José Luís Grimaldi)
Thávyne Ferrari Márcia Maria Brandão Martelli
Participações especiais
Ator Personagem
Othon Bastos Isidoro Grimaldi
Susana Vieira Amélia Viana[42]
Rosamaria Murtinho Dolores
Maria Fernanda Cândido Fabiana
Otávio Augusto Osvaldo
Paulo Betti Lucena
Ângela Vieira Cleonice
Marcelo Laham Hugo
Deborah Secco Betina Moneteiro
Mariana Ximenes Sônia
Ísis Valverde Telma[43][44]
Glória Pires como Lúcia Vilela[45]
Tony Ramos como Antenor Cavalcanti[44][45]
Elenco de apoio

Músicas

O tema de abertura inicialmente seria Sábado em Copacabana, entoado por Maria Bethânia especialmente para a vinheta da novela, mas a Globo, em certo momento, chegou a cogitar ter como tema de abertura a música "Olha", na voz de Chico Buarque e Erasmo Carlos, num ritmo de bossa nova. No fim, o tema de abertura acabou sendo mesmo "Sábado em Copacabana" e "Olha" tornou-se o principal tema romântico da produção, servido de fundo para o casal Paula e Daniel.

"Não Enche", na voz de Caetano Veloso, já havia sido utilizado por Gilberto Braga em outra trama, a minissérie Labirinto, em 1998. Em Paraíso Tropical, a mesma serve como tema da personagem Bebel.

Trilha sonora nacional

Capa: Alessandra Negrini e Fábio Assunção

  1. "Carvão" - Ana Carolina
  2. "Impossível Acreditar Que Perdi Você" - Toni Platão
  3. "Ruas de Outono" - Gal Costa
  4. "Samba do Avião" - Milton Nascimento
  5. "Você Não Sabe Amar" - Nana Caymmi
  6. "Você Vai Ver" - Miúcha
  7. "Sábado Em Copacabana" - Maria Bethânia
  8. "Olha" - Erasmo Carlos e Chico Buarque
  9. "Cabide" - Mart'nália
  10. "Não Enche" - Caetano Veloso
  11. "Difícil" - Marina Lima
  12. "Espatódea" - Nando Reis
  13. "Existe Um Céu" - Simone
  14. "Preciso Dizer Que Te Amo" - Cazuza e Bebel Gilberto
  15. "É Com Esse Que Eu Vou" - Elis Regina
  16. "Vatapá" - Danilo Caymmi
  17. "Alcazar" - Roger Henri

Trilha sonora internacional

Capa: Camila Pitanga

  1. "You Give Me Something" - James Morrison
  2. "Last Request" - Paolo Nuttini
  3. "P.D.A. (We Just Don't Care)" - John Legend
  4. "Have You Ever Seen The Rain?" - Rod Stewart
  5. "Without You" - Harry Nilsson
  6. "Me And Mrs. Jones" - Michael Bublé
  7. "Since I Fell For You" - Gladys Knight
  8. "You Go To My Head" - Michael Bolton
  9. "Summerwind" - Madeleine Peyroux
  10. "Mon Manége à Moi (Tu Me Fais Tourner La Tête)" - Etienne Daho
  11. "Chaya Chaya" - Nukleouz & DJ Seduction
  12. "The Thrill Is Gone" - B.B. King
  13. "'Breezin' " - George Benson & Al Jarreau
  14. "The Man I Love" - Caetano Veloso
  15. "So Many Stars" - Sérgio Mendes & Brasil '66
  16. "Dream Dancing" - Ella Fitzgerald
  17. "I'm Sorry" - Brenda Lee
  18. "Vida Mía" - Nora Rocca