Esperança

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 
 
Esperança
Informação geral
Formato Telenovela
Classificação etária Inadequado para menores de 14 anos DJCTQ (Brasil)
Duração 60 min. (aproximadamente)
Criador Benedito Ruy Barbosa
País de origem Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Luiz Fernando Carvalho
Elenco original Reynaldo Gianecchini
Priscila Fantin
Ana Paula Arósio
Antônio Fagundes
Raul Cortez
Fernanda Montenegro
José Mayer
Maria Fernanda Cândido
Nuno Lopes
Walmor Chagas
Lúcia Veríssimo
ver mais
Tema de abertura "Esperança", Gilbert, Laura Pausini, Alejandro Sanz e Fama Coral
Emissora(s) de
televisão lusófona(s)
Mostrar lista
Transmissão original 17 de junho de 2002[1]- 15 de fevereiro de 2003[2]
N.º de episódios 209 capítulos[3]
Portal Televisão · Projeto Televisão

Esperança (título no Brasil) ou Terra Speranza (título internacional), foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 17 de junho de 2002[1] e 15 de fevereiro de 2003.[2] Foi escrita, a princípio, por Benedito Ruy Barbosa, que foi substituído por Walcyr Carrasco, com a colaboração de Edmara Barbosa, Edilene Barbosa, e Thelma Guedes. Teve direção de Emílio di Biasi e Marcelo Travesso, direção geral de Luiz Fernando Carvalho e Carlos Araújo, e núcleo de Luiz Fernando Carvalho, totalizando 209 capítulos.[3]

Apresentou Reynaldo Gianecchini, Priscila Fantin e Ana Paula Arósio nos seus papeis principais.[3]

História

Sinopse

Produção

O figurante italiano Alessandro Petricca, de oito anos, interpretou Toni quando criança nas gravações em Civita di Bagnoregio. A bicicleta usada pelo menino em cena é a mesma usada no filme O último Imperador, de Bernardo Bertolucci. Já a bicicleta guiada por Giannechini nas cenas de Toni adulto foi remontada pela equipe de produção de arte para ficar igual à bicicleta de Toni menino.

Assim como seu personagem, o cantor Gilbert é judeu egípcio na vida real. Além de fazer o pai de Camilli, ele gravou para a novela a canção Jerusalém de ouro, em hebraico e português e a música de abertura, Esperança.

O ator Luís de Lima, intérprete de Antonio, pai de José Manoel, morreu durante a novela.[4] Para dar continuidade dramática ao romance de José Manoel com Nina, que não era aceito pela família do rapaz, Beatriz Segall entrou na trama. Ela foi escalada para viver Antônia, a mãe do português.[5]

Ana Paula Arósio e Reynaldo Gianecchini conferiram tanto realismo a uma cena de discussão do casal Camilli e Toni, que ambos se feriram durante a gravação. Ana Paula torceu o tornozelo direito, e o ator teve dentes quebrados quando Camilli, em um acesso de fúria, destrói a estátua feita por Toni ao ouvir o marido se declarar à obra, chamando-a de Maria. Gianecchini teve de se submeter a uma restauração dentária e só voltou às gravações três dias após o acidente.[6]

A poucos meses do final da trama, Ana Paula Arósio deixou a novela devido a problemas de saúde. Voltou a tempo de concluir suas cenas.

Exibição

Esperança não atingiu os índices de audiência desejados pela emissora,[7] mas fez sucesso no exterior, sendo exibida em países como Uzbequistão e Rússia, entre outros. A novela foi renomeada para Terra speranza em uma tentativa de alavancar a venda para emissoras hispânicas. O nome é uma alusão a Terra nostra, de Benedito Ruy Barbosa, um dos maiores sucessos da TV Globo no mercado internacional. Rebatizada de Terra nostra 2, Esperança foi exibida na Itália no canal Rette 4. A novela fez sucesso em Israel, no horário nobre, indo ao ar no canal HOT 3 da TV a cabo, com o título de Terra esperança traduzido para o hebraico – a exibição do casamento judaico de Camille e Toni fez uma das maiores audiências já registradas no país.[6][8]

Audiência

A trama foi parodiada pelo Casseta & Planeta, Urgente! como faz com todas as novelas do horário nobre da emissora como Semelhança. O título seria Terra Nostra 2, mas a pedido do autor Benedito Ruy Barbosa, o título acabou não indo ao ar. Este, porém, foi o título da novela na Itália.

Recepção

Prêmios

Prêmio Qualidade Brasil RJ[13]
Prêmio Qualidade Brasil SP[14]
Prêmio Austregésilo de Athayde 2003[15]

Troféu Imprensa 2002[16]

Prêmio Internet 2002[17]
Prêmio Contigo![18]

(Esperança)

Prêmio Master

Elenco

em ordem da abertura da novela
Ator[3]↓ ! Personagem↓
Reynaldo Gianecchini Tony
Ana Paula Arósio Camilli
Raul Cortez Genaro
Antônio Fagundes Giuliano
Maria Fernanda Cândido Nina
José Mayer Martino
Priscila Fantin Maria
Laura Cardoso Madalena
Gabriela Duarte Justine
Simone Spoladore Catarina Maria Tranquili
Otávio Augusto Manolo
Othon Bastos Vincenzo Tranquili
Emílio Orciollo Netto Marcello Tranquili
Regina Maria Dourado Mariúsa
Araci Esteves Costância
Gisele Itié Eulália
José Augusto Branco Barão Marcílio de Albuquerque
Oscar Magrini Umberto[19]
Miriam Freeland Beatriz Francine de Albuquerque
Ranieri Gonzalez Maurício[19]
Eliana Guttman Tzipora
Gilbert Stein Ezequiel
Denise Del Vecchio Soledad
Paulo Goulart Farina
Antônio Petrin Adolfo
Sheron Menezes Julia de Silve
Mareliz Rodriguez Isabela
Chico Carvalho Marcos
Daniel Lobo Felipe
Mariz Rafael
Nuno Lopes José Manoel[20]
Atrizes Covidadas
Ator Personagem
Eva Wilma Rosa
Lúcia Veríssimo Francisca Helena Azevedo de Albuquerque
Zilka Salaberry vizinha de Genaro e Rosa na Itália
Atores convidados
Ator[3] Personagem
Massimo Ciavarro Luígi
Milton Gonçalves Matias
Participação especial
Ator[3] Personagem
Walmor Chagas Giuseppe
Cláudio Correa e Castro Agostinho
Fernanda Montenegro como "Luiza"↓
Elenco de apoio

Músicas

Trilha sonora nacional

Capa: Priscila Fantin

  1. "Esperança" – Gilbert, Laura Pausini, Alejandro Sanz, Daniel, e Fama Coral (tema de abertura)
  2. "Eu e o Sabiá" – Chitãozinho e Xororó
  3. "Vem Sonhar (Parlami D'Amore, Mariù)" – Leonardo
  4. "Onde Está o Meu Amor?" – RPM
  5. "Milagreiro" – Djavan
  6. "Muito Amor" – Fagner
  7. "Viola Quebrada" – Pena Branca e Xavantinho
  8. "Novamente" – Clara Becker
  9. "Notícias" – Marina Lima
  10. "Templo" – Chico César
  11. "Onde Ir" – Vanessa da Mata
  12. "Cio da Terra" – Chico Buarque e Milton Nascimento
  13. "Bicho do Mato" – Arleno Farias
  14. "O Que Foi Feito Deverá" – Elis Regina
  15. "Esperança" – Fama Coral
  16. "Cuitelinho" – Nara Leão

Trilha sonora internacional

Capa: Nuno Lopes

  1. "J'Attendais" – Celine Dion
  2. "Ti Amo" – Sergio Endrigo
  3. "Tu" – Sarah Brightman
  4. "Yolanda" – Chico Buarque e Pablo Milanés
  5. "Cuando Nadie Me Ve" – Alejandro Sanz
  6. "L'Abitudine" – Andrea Bocelli e Helena
  7. "Adeus… E Nem Voltei" – Madredeus
  8. "Core 'Ngratto" – Roberto Murolo
  9. "Seamisai" – Laura Pausini
  10. "Parlame D'Amore Mariù" – Leonardo
  11. "La Música È Finita" – Ornella Vanoni
  12. "Amore Perduto" – José Carreras
  13. "Il Mondo" – Jimmy Fontana
  14. "Passa e Va" – Mafalda Minozzi
  15. "Marechiare" – Família Lima
  16. "Chimera" – Gianni Morandi
  17. "Yerushalaim Shel Zahav" – Gilbert
  18. "Speranza" – Laura Pausini